Novo Formato de Arquivo AMF para Liberar o Potencial da Impressão 3D!

Por Todd Grimm, Grupo de Usuários de Fabricação Aditiva, Conselheiro de Indústria AM

Em meu último post, fiz uma breve referência à necessidade de a ciência e a tecnologia acompanharem as habilidades da impressão 3D para realmente decolar. O ponto era que faltando simulação e análise de materiais de grau funcional, a viabilidade de usar capacidades de materiais avançados era um pouco limitada.

No entanto, além dos materiais, acredito que há uma lacuna tecnológica ainda mais penetrante - uma que existe entre o CAD e a impressora 3D e atrasa materiais de grau funcional, bem como impressão de cores completas e microestruturas: O simples formato de arquivo STL é incapaz comunicar elementos de design tão sofisticados!



Peça de Xadrez em Formato AMF

Há, porém, boas notícias no horizonte — o formato AMF (additive manufacturing file - arquivo de fabricação aditiva) é uma estrutura com base em XML, de código fonte aberto, para troca de dados. Conforme Hod Lipson, professor associado na Universidade Cornell e presidente do Grupo de Tarefa de Design da ASTM, postou em ENGINEERING.com, a ASTM adotou uma ponte padrão, de peso leve (tamanho de arquivo pequeno), porém robusta, entre CAD e impressoras 3D. Esse formato de arquivo contém toda a informação necessária para fazer as peças mais básicas ou as mais complexas que você puder conceber.

O formato AMF define:
1. Múltiplos materiais, incluindo Materiais Digitais de grau funcional.
2. Múltiplas cores, incluindo gradientes.
3. Estruturas complexas.

Se você não estiver pronto para essas capacidades avançadas, AMF ainda tem muito a oferecer:
1. Unidades de medida (sem mais ter que adivinhar se o arquivo é em polegadas ou milímetros).
2. Patches curvos (facetas que espelham os contornos da superfície).
3. Constelações de peças (uma definição para múltiplas cópias).
4. Arquivos pequenos (AMF comprimido é 50% menor que STL binário comprimido).

A equipe AMF desenvolveu até um tradutor de STL para AMF!

Mas não abra a champanhe ainda. Como Hod destacou, isso é um pouco uma história da galinha e o ovo. Para fazer AMF funcionar, o software precisa importar o arquivo e impressoras 3D precisam lê-lo. Mas sem arquivos para importar, fabricantes de hardware podem ter pouca motivação para apoiar o AMF. Por outro lado, sem impressoras 3D que possam ler AMF, desenvolvedores de software não têm demanda para o novo formato.

É aí que entramos! Se você quiser o poder do arquivo AMF, faça com que seus vendedores saibam. Contate seus fabricantes de impressoras 3D e fornecedores de CAD e diga-lhes que você quer AMF, agora!

Para mais informações sobre o formato de arquivo AMF, visite a Wiki.

Este post também está disponível em: Chinês, Inglês, Japonês, Espanhol, Korean

Deixe um comentário

*