Ventilador Robótico Impresso em 3D - usando Material Digital Objet tipo ABS!

A Necessidade de Controle de Conforto Personalizado Inteligente

Por Andrew Payne.

Arquitetos e engenheiros modernos enfrentam o desafio de criar ambientes internos que preencham as duplas metas de satisfação do usuário e desempenho de energia. Criar uma clima apropriado é essencial para conforto pessoal, produtividade e satisfação do ocupante. No entanto, fica uma pergunta - por que tantos prédios consistentemente não atendem essas duas necessidades?

Stewart Brand tem uma ótima citação em seu livro How Buildings Learn (Como Prédios Aprendem):

"Quase nenhum prédio acomoda bem. São projetados para não se adaptar; também orçamentados e financiados, construídos, administrados, mantidos, regulados e taxados, até mesmo remodelados para não se adaptar. Mas prédios ... se adaptam mesmo assim, embora de forma pobre, porque o uso dentro e ao redor deles está em constante mudança."

Uma solução para este problema é criar disposivios personalizados mais inteligentes - aqueles que podem aprender como você usa um espaço e se adaptar às suas necessidades. Esta nova classe de dispositivos deve também ser capaz de comunicar-se com outros dispositivos e o sistema maior de controle centralizado do prédio.

O primeiro passo rumo a maior controle de conforto pessoal é o desenvolvimento de um novo ventilador robótico de baixa energia. Eu projetei e construí este dispositivo pendente de patente que aprende quando e onde focar sua atenção, direcionando ar refrigerado para regiões do corpo que mais afetam conforto. Os resultados mostram que as pessoas tendem a preferir as zonas de respiração mais frescas (ou seja, rosto, pescoço e cabeça). Como tal, o ventilador tem uma câmera de vídeo interna e usa software de reconhecimento facial para acompanhar a posição do rosto do usuário e direciona os ventiladores de acordo.

Há também três servo motores de alto torque dentro do corpo do ventilador. Um move o ventilador da esquerda para a direita enquanto os outros dois motores inclinam os ventiladores individuais para cima e para baixo. Também é de energia extremamente baixa, consumindo cerca de um terço de um ventilador de mesa tradicional. Por fim, ele pode enviar e receber mensagens sem fio do sistema central do prédio e de outros dispositivos dentro de seu ambiente.



O corpo do protótipo do ventilador foi impresso com material tipo ABS em uma impressora 3D Objet Connex. (Imagem de Andrew Payne. Todos os direitos reservados))

O protótipo foi criado em um sistema de impressão 3D com múltiplos materiais Objet Connex. A precisão da impressora combinada com a resistência do Material Digital tipo ABS permitiu encaixar precisamente as conexões mecânicas, como roscas de parafuso e fixadores de encaixes, para ser impresso diretamente nas peças. As peças foram então lixadas, pintadas e montadas, resultando em acabamento profissional "tipo produção".

O desenvolvimento deste ventilador robótico é só uma parte de um esforço de pesquisa muito maior centrado em torno de controle de conforto personalizado inteligente.  Eu tenho grandes coisas planejadas - então fique ligado para ver alguns novos protótipos interessantes!

Andrew Payne é um arquiteto e inventor registrado que está atualmente buscando seu grau de doutorado na Graduate Scool of Design da Harvard. Sua pesquisa de doutorado na GDS explora como avanços recentes em tecnologia podem ajudar arquitetos a criar espaços e sistemas inteligentes que tenham a capacidade de atender demandas individuais, sociais e ambientais em mudança. Você pode saber mais sobre o trabalho dele em: www.liftarchitects.com



O dispositivo tem três motores internos que movem o ventilador da esquerda para a direita e para cima e para baixo para alcançar máximo conforto personalizado. O ventilador consome quase um terço da energia de um ventilador de mesa tradicional. (Imagem de Andrew Payne. Todos os direitos reservados)

Este post também está disponível em: Chinês, Inglês, Japonês, Espanhol, Korean

Deixe um comentário

*