Criando a Palmilha Personalizada Perfeita com Impressão 3D

Podfo Insert Dev Team
Equipe de Desenvolvimento da Podfo (da esquerda para a direita, na foto): Scott Rader – gerente-geral – Healthcare Solutions Stratasys, Steve Cook – diretor de Desenvolvimento de Negócios Podfo e Chris Peacock – proprietário do Peacocks Medical Group

Você sofre com dores nos pés ao fim do dia? Milhões de pessoas em todo o mundo se beneficiam de órteses plantares personalizadas para auxiliar em questões como conforto e saúde. Para atender à demanda por palmilhas com melhor desempenho, o processo de verificação do ajuste, compra e personalização está dando um grande passo adiante. A indústria está avançando e passando das soluções ortóticas feitas com modelos de gesso, que levam semanas para ser entregues, para órteses de ajuste preciso personalizadas,  impressas em 3D, produzidas em poucos dias. E a indústria de órteses segue em franca expansão.

De acordo com um estudo recente feito pela IndustryARC, o Mercado global de Órteses Plantares gerou receitas na ordem de US$ 2,5 bilhões em 2014 e deverá crescer a uma taxa de crescimento anual composta de 5,8% para atingir US$ 3,5 bilhões, em 2020. Uma vez que os cuidados com a saúde tendem à personalização, empresas inovadoras como a Peacocks Medical e a Stratasys estão revolucionando o caminho, no sentido de levar dispositivos como o Podfo, uma solução ortética plantar personalizada impressa em 3D, a um maior número de consumidores e de capitalizar sobre esse segmento de mercado em expansão.

Meu nome é Professor Jim Woodburn e sou podiatra especializado em artrite inflamatória e em pé diabético pela Glasgow Caledonian University. Eu tive uma visão: desenvolver um novo tipo de órtese plantar que se utilizasse de alguns dos principais paradigmas da podiatria para controlar o movimento e reprojetar funções por meio de recursos de manufatura como a rigidez e a espessura localizadas de materiais, que não poderiam ser facilmente executadas via produção convencional. Na minha visão, os novos dispositivos poderiam ser menos volumosos e mais leves sem perder a rigidez e a flexibilidade, proporcionando também excelente estética e detalhando o que poderia melhorar a experiência do usuário e os resultados para o paciente. Acredito firmemente que se analisarmos a questão da melhoria das órteses sob uma nova perspectiva, utilizando a tecnologia de impressão 3D, poderíamos alcançar coisas que antes não eram viáveis ou acessíveis utilizando os métodos convencionais de fabricação.

Para levar à cabo esse plano ambicioso de criar órteses plantares aprimoradas e levá-las até as massas, percebi que eu precisava construir uma equipe que assumiria o imenso risco envolvido no projeto iterativo, no desenvolvimento e na produção de aparelhos ortóticos personalizados mantendo, ao mesmo tempo, o resultado final de melhor atendimento ao paciente como o principal objetivo do projeto. Foi aí que entrou a Peacocks Medical, um fabricante de dispositivos especializado em serviços de nível internacional em soluções personalizadas de atendimento a pacientes. A Peacocks rapidamente embarcou na minha visão de melhoria das órteses e temos colaborado desde então. Essa cooperação se definia inicialmente como uma parceria de pesquisa junto a outros especialistas de toda a Europa. Foi a partir dessa inspiração que a equipe Podfo se formou e a visão se tornou uma realidade prática.

Podfo Inserts
Cada Podfo é único, sob medida para os requisitos biomecânicos individuais do usuário.

Depois que a parceria com a Peacocks Medical foi firmada, começamos a trabalhar imediatamente no projeto e no desenvolvimento do Podfo.  Foi uma experiência maravilhosa na qual a Peacocks Medical compartilhou valores que demandavam qualidade e excelência em pesquisa e inovação e, por meio deles, o desenvolvimento de potenciais produtos e serviços em órteses plantares com alto valor e conhecimento agregados. Conforme o empreendimento seguia adiante através das etapas de desenvolvimento e de validação, logo se tornou óbvio que seria necessário mobilizar ajuda adicional, uma vez que a demanda foi rapidamente ultrapassando os níveis atuais da capacidade de produção. Nesse ponto, percebemos que precisávamos de uma parceria com uma organização que pudesse entregar produção em grande escala sem sacrificar a qualidade. A Stratasys foi uma combinação excelente, porque possui uma vasta experiência na fabricação de uma variedade de peças de produção com rigorosos requisitos de qualidade. Com recursos de acabamento e fluxos de processo já maduros, eles conseguiram dinamizar as etapas de mão-de-obra intensiva pós-processamento, reduzindo assim os custos por peça. Além disso, os métodos de manufatura da Stratasys permitiam a eles oferecer, com facilidade, rastreabilidade serializada, além de atender sistematicamente aos requisitos de durabilidade.

Enquanto essas parcerias têm de fato sido uma ótima combinação, o projeto não deixou de enfrentar desafios que se mostraram oportunidades de aprendizagem, alguns exclusivos da indústria de equipamentos médicos, e outros mais gerais que se revelaram em todas as facetas da criação. Durante todo o projeto observamos o surgimento de vários protagonistas no espaço ortótico da impressão 3D. Teria sido fácil dar um salto adiante na manufatura para apressar a colocação dos produtos no mercado. Contudo, seguimos à risca nosso plano e desenvolvemos novas palmilhas ortopédicas que são verdadeiramente diferenciadas e projetadas com base no conhecimento. Esse sistema de desenvolvimento é a base da sustentabilidade da órtese Podfo impressa em 3D e dos novos dispositivos e abordagens em andamento.

Como a impressão 3D e os processos de manufatura aditiva continuam a impelir inovações médicas, acredito que existem ainda muitas oportunidades a serem aproveitadas. A tecnologia de impressão 3D impulsionará a inovação, mas deve ser explorada para o desenvolvimento de dispositivos com funcionalidades que não poderiam ser atingidas com a manufatura convencional. Isso deve incluir propriedades adaptativas que respondem às forças, temperatura e umidade. A manufatura aditiva deve suportar a integração de detecção inteligente que melhore a interação com o paciente e o uso de produtos ortóticos. A integração nanoscópica de biomateriais e de medicamentos, em longo prazo, poderia ampliar ainda mais a funcionalidade. Eu acredito também que, em médio prazo, chegaremos aos dispositivos de funcionalidade otimizada integrando técnicas tais como a análise de elemento finito à cadeia de projeto. Por último, poderemos testemunhar a impressão de órteses de modo mais acessível e até mesmo nos lares, ou em ambientes carentes em países de baixa e média renda utilizando materiais locais e tecnologias de impressão portátil.

 

Este post também está disponível em: Inglês

Deixe um comentário

Comment
Share This