Como a manufatura aditiva pode mudar a cadeia de suprimentos em um futuro próximo

Mesmo com toda a discussão sobre como a manufatura aditiva pode revolucionar a maneira como os produtos são fabricados, ainda é pouco discutido o potencial que essa forma de produção – também chamada de impressão 3D – tem para transformar a cadeia de suprimentos de maneira significativa e reduzir os custos de logística de pequenos e grandes fabricantes.

As incontáveis mudanças que a manufatura aditiva pode trazer para a cadeia de suprimentos podem ser resumidas com as mesmas palavras frequentemente usadas para descrever a técnica em si e o que ela significa para os fabricantes e usuários: palavras como acessível, customizado e consolidado.

Diversos pesquisadores que acompanham a indústria de manufatura aditiva, por exemplo, dizem que um dos benefícios dessa tecnologia está na necessidade de menos componentes dentro de um único produto. A consolidação da peça resultará em uma redução de SKUs e de inventário e poderá, potencialmente, reduzir a base de fornecedores de uma empresa.

A simplificação do produto também reduzirá a mão de obra de logística, as ferramentas necessárias, os centros de usinagem e o inventário do materiais em processo de produção.

Com o aumento da manufatura aditiva, não demorará muito para que os consumidores sigam o exemplo da atual cultura de alimentação e restaurantes: a busca por produtos locais. Uma vez que os consumidores estão mais conscientes ecologicamente, eles naturalmente querem saber o quanto seus produtos viajaram para chegar até eles.

A resposta será: não muito.

Os fabricantes poderão trabalhar com seus parceiros da cadeia de suprimentos a fim de criar uma rede de impressoras 3D, sendo que cada uma atuará, essencialmente, como uma pequena microfábrica, com operações coordenadas usando tecnologia. Esse tipo de abordagem acaba com as longas distâncias que os produtos viajam dentro da cadeia de suprimentos. Futuramente, os fabricantes entenderão que já não será mais financeiramente viável ou eficiente enviar produtos para o mundo todo, porque na realidade, será possível que a fabricação aconteça em quase qualquer lugar e com o mesmo custo.

E não é só isso. Os pequenos centros de manufatura aditiva distribuídos terão menos necessidade de um estoque just in time e outros caminhos para a redução de inventário. Eles simplesmente poderão imprimir mais produtos, ou peças, quando necessário. Esse fato isoladamente já será uma grande mudança na atual cadeia de suprimentos, da qual grande parte é alimentada pelo JIT.

As cadeias de suprimentos também se tornarão mais regionais, uma vez que a impressão 3D tem o potencial de customizar produtos individuais ao conjunto de necessidades dos clientes. Se os compradores de uma determinada região procuram produtos específicos – talvez devido ao clima recente do local – os fabricantes podem produzi-los perto desses clientes.

Podem, ainda, e isso é fundamental, fabricá-los somente quando necessário. O adiamento na fase final torna a cadeia de suprimentos mais ágil, à medida em que ela pode reagir às mudanças do mercado momento a momento.

Da mesma forma, a utilização da manufatura aditiva também pode aumentar durante interrupções de produção devido ao clima, por exemplo. Se um furacão impedir que os suprimentos cheguem em uma fábrica em particular, as peças impressas em 3D passam a ter uma função a desempenhar. Como as peças podem ser configuradas rapidamente, sem necessidade de ferramentas e produzidas em pequenos lotes, o método funciona bem nesta situação.

E aqui está outra maneira de olhar regionalmente. À medida que a manufatura aditiva estende seu alcance aos mercados remotos, lugares aos quais a cadeia de suprimentos atual não chega, o método irá distribuir os produtos e bens de forma mais equitativa em todo o mundo. Também será capaz de fornecer aos fabricantes dessas áreas, o acesso à peças e ferramentas (impressas em 3D) quando e onde precisarem.

Em conjunto com tal fato surge um aumento de vagas de emprego nessas regiões. Mais manufatura significa mais empregos em todas as áreas do mundo.

Mas por que parar por aí? Não só a manufatura aditiva tem o potencial de mudar a cadeia de suprimentos atual, como também pode levar à criação de novos conceitos na área, como pequenas empresas fabricantes que fornecem diretamente através de serviços expressos, como a FedEx.

Independentemente de como a cadeia de suprimentos será no futuro em comparação ao que é hoje, uma coisa é clara, a manufatura aditiva terá tido sua importância no surgimento de algumas alterações valiosas.

Clique aqui para saber mais sobre como a impressão em 3D pode otimizar a produção.

Este post também está disponível em: Inglês

Deixe um comentário

Comment
Share This